quinta-feira, 18 de março de 2010

O mercado tem libido!

Olá pessoal, após a leitura da matéria “A arte de se vender” da revista Super Interessante (janeiro, 2010, p. 80-83)( http://www.mwbra.com/download-super-interessante-janeiro-2010/#more-11416 ) senti vontade de vir aqui compartilhar e também levantar algumas questões pertinentes ao que li. De forma resumida, a matéria (baseada em pesquisas em universidades inglesas e americanas) aponta para fatos do dia a dia do trabalhador (de escritório) que fazem diferença significativa sobre sua renda mensal, seu salário. Ao longo do texto dão-se dicas para se dar bem com o patrão e também com os outros empregados. É muito divertido o conteúdo do texto. Por exemplo: tom de voz, inclinação do corpo, tempo do aperto de mão, dentre outras coisas, fazem diferença para as pessoas se darem bem na vida ($$$). A matéria é grande, vale à pena vocês lerem, até porque aqui nesse espaço cedido pelo blog focarei atenção apenas em alguns trechos da matéria para argumentar que o mercado tem libido, ou seja, que a mão invisível do mercado é também “mão boba”. Sendo assim, quais são as conseqüências para a teoria econômica? (Quem sou eu pra responder isto!)

Capital humano: conteúdo e embalagem

O conteúdo

Obviamente, o conteúdo do capital humano é o seu nível de qualificação (anos de estudo/preparação). Quanto mais anos de estudos, pesquisas apontam que há maiores remunerações ao trabalhador (justo! Afinal de contas o retorno ao capital desse trabalhador é maior – o mercado incentiva isso). Mas de acordo com a matéria: “Puxar o saco funciona. Um estudo da Universidade do Texas comprovou que elogiar o chefe e fazer favores para ele aumenta em 64% as chances de ganhar uma promoção.” (Super Interessante, janeiro, 2010, p. 82). Logo, o mercado também incentiva o ato de puxar saco! Absurdo isto, do ponto de vista econômico? Veremos..

A embalagem

De acordo com a matéria: “[...] uma série de pesquisas feitas por universidades inglesas americanas constatou que as pessoas consideradas bonitas ganham, em média, 18% a mais do que as feias” (Super Interessante, janeiro, 2010, p. 81) [eu quero meus 18% a mais!! (Dentão, ainda bem que você é patrão, hein?)].. Ou seja, fazer uma plástica ou entrar na academia pode ser uma escolha mais interessante do que fazer um curso de aperfeiçoamento. “Segundo um estudo da Universidade de Flórida, cada centímetro a mais de altura rende R$ 600 de salário adicional por ano” (Super Interessante, janeiro, 2010, p. 81). A matéria ainda afirma que dos 100 homens mais ricos do mundo, todos tem o rosto barbeado (meu Deus! Queria muito trabalhar na super interessante. São tantas correlações que eu gostaria de testar..). Desta forma, o mercado incentiva as pessoas a se preocuparem excessivamente com suas embalagens (popozão, olhos atraentes, belo decote, pele macia cheirosa e suave... Eu contrato e ainda pago mais!! E vc?). Por isso podemos afirmar que o mercado tem libido.

E daí, o que diz o economista?

O autor que vos escreve, no auge de sua ignorância e consciência de poder estar dizendo “asneiras”, prossegue. Quanto ao nível de puxassaquismo do capital humano e seu retorno marginal ser positivo (salários maiores) para o trabalhador é algo simples de se entender sob a lupa da teoria econômica. O puxa-saco é mais produtivo pra firma (sabemos que salário = produtividade marginal do trabalhador) sobre vários aspectos. 1- Ele trabalha mais (impossível ser puxa saco sendo preguiçoso). 2 – Ele exerce função de fiscal, sendo o x9 (dedo duro) e assim orienta melhor a firma sobre seus recursos humanos, maximizando as possibilidades de acerto em uma possível redução de pessoal. 3 – O puxa saco evita que o patrão fique com auto-estima baixa e gaste dinheiro com o psicólogo Henrique Cerqueira. Assim o lucro da firma ficará mais robusto para possíveis novos investimentos sem a cota do psicólogo. Do ponto de vista da teoria marxista, o puxa saco é fonte pedigree (não encontrei palavra melhor) de mais-valia absoluta, além dele ser fiscal (X9) dedurando os outros e assim reduzindo a porosidade da jornada de trabalho. Simples assim. O ato de puxar saco não é nada demais que a teoria econômica não resolva.

A embalagem do capital humano: Reflexões

Quando Adam Smith escreveu “A riqueza das Nações” ele mostrou que o funcionamento do mercado capitalista baseado na especialização; no sistema de preços; egoísmo do homem, etc... segue uma dinâmica de maior eficiência na alocação dos recursos, o que leva a economia para sua máxima produtividade, máxima riqueza material. Mais tarde, economistas começaram atentar para as falhas que existem no mercado. Falhas de Mercado ocorrem quando os mecanismos de mercado, deixados livremente ao seu próprio funcionamento (mão invisível), originam resultados econômicos não eficientes ou indesejáveis do ponto de vista social. Tais falhas são geralmente provocadas pelas imperfeições do mercado, definidas como: informação incompleta dos agentes econômicos, custos de transação elevados, existência de externalidades e concorrência imperfeita. Para melhor compreensão , ver Mankiw (2005), capitulos:1, 7 e 16. Sendo assim, seria a libido do mercado (ou “mão boba” do mercado) apenas uma falha de mercado por fazer uma seleção adversa do capital humano da economia? Ou seja, prestigiando a embalagem do capital humano em detrimento do seu conteúdo vis-à-vis outros trabalhadores a disposição no mercado, e assim reduzindo a eficiência da economia. Ou seria mais do que isso? Seria a libido do mercado (comprovada pelos altos salários de pessoas mais bonitas) uma prova que os agentes econômicos (firmas e trabalhadores) não são racionais, o que enfraquece um importante pressuposto da teoria econômica ortodoxa? Nada disso, a teoria é uma ABSTRAÇÃO da realidade. Existe uma lógica bem articulada e coerente por trás dela. E acho que a realidade deveria seguir a teoria. Aceitando que a “mão boba” do mercado é uma falha de mercado, deveríamos castrar todos homens e mulheres para assim alcançarmos níveis de riquezas maiores (sem seleção adversa de capital humano!), além do quê, viveríamos apenas mais uma geração, o que seria a salvação do Planeta Terra - PERFEITO!.. Brincadeira, óbvio (rs)!! Na verdade a economia é uma ciência extremamente complexa por estar sobreposta, exposta, imergida, emergida, misturada, embaralhada e chacoalhada com várias outras variáveis não econômicas e outras ciências. Pensar em economia independente de qualquer corrente teórica já é uma abstração cavalar da realidade (isso não é ruim, é necessário).. Por isso economia é a arte de pensar.. E se chegamos a questões sem respostas, ótimo! Porque são as perguntas que movem o mundo e não as respostas (eu vi na propaganda). Mas estude matemática e estatística!! Muito!! Se não, você é bobalhão e nem vai conseguir me ensinar depois...


- ps: As reflexões sobre a libido do mercado tá longe de ser um questionamento sem resposta (muito menos tem a pretensão de ser QUESTIONAMENTO)... sou apenas um piadista.. NÃO GOSTOU???? Mão feroz na SUA CARA!!!


Abraço do Bela

8 comentários:

Gari disse...

Grande Bela,

Seus posts sempre superam as expectativas (sejam racionais ou adaptativas). Excelente... Você poderia buscar informações sobre a "mão boba" do mercado na academia. Entre professores, pesquisadores, bolsistas, alunos... creio que vc vá encontrar algumas correlações também! Além de me dar uma explicação (que não minha limitação) para ter ido tão mal em internacional.

Abraço

Modes disse...

Post mto legal, mesmo! Mandou bem, belamigo.

- Contribuições para a lógica interna da teoria belarmindiana:

Se os puxa-saco são os mais produtivos da firma, a libido do mercado não geraria seleção adversa, ela promoveria os mais eficientes, o que não contrapõe o previsto pelo Ferreiro (mantendo todos os outro pressupostos clássicos). O mercado seguiria feliz e saltitante como a chapeuzinho vermelho pelo bosque até que o lobo (ou bolha imobiliária) tentaria come-la...

Boi disse...

Excelente post Bela. É um assunto que gera muita discussão. Mas, pensando por outro lado, será que os mais bonitos ganham mais ou os que ganham mais são mais "bonitos"?

Fato é que, supondo alguém considerado mediano na beleza e no trabalho seja promovido, por algum motivo qualquer que não vem ao caso aqui, e passe a usufruir de um padrão de vida melhor. Essa pessoa poderá comprar roupas melhores, carros melhores e etc. Automaticamente, ela poderá se tornar mais "bonita" para os próximos. Outro exemplo citado no texto, dos bilionários, acho que é mais questão de moda mesmo. Se pegassem a mesma lista da Forbes em 1970 (acho que ela não existia na época), uns 80% teriam bigodinho e costeleta. Hoje, no mundo empresarial, barba feita passa mais a ideia de seriedade.

Na minha opinião, boa parte das correlações são mais um estudo de economia para diversão, para as massas, do que um estudo que deva ser levado a sério. Mais ao estilo do instituto do dentão e ariel.

Abs!

Bela disse...

Opa boi! Blza? Boas observações...

Cara, concordo plenamente com vc qd vc disse q não é um estudo q deva ser levado a sério..E eu definitivamente não levei a sério mesmo, vide as brincadeiras constantes e o meu "PS"..
Na FACE a gente só aprende teoria e as polêmicas ortodoxos vs heterodoxos.. Então peguei essa polêmicas + a materia da super interessante e tentei (mas não consegui) escrever um texto descontraído... Eu acho um tédio esse negócio de ficar criticando as limitações de um modelo teórico... Não há modelo que resista a uma bela mulher.. hahahaha.. Nem casamento que é uma coisa SAGRADA resiste.. faço uma critica sutil em relação a isso...

Outra coisa, eu discordo da sua opinião que acha q as pessoas ficam mais bonitas pq estão ganhando mais, até pq, o "mais" que elas ganham é em média 18%.. Se o salário de uma pessoa aumentar 18% acho q não é um grande motivo pra gastar R$ 10.000 reais em plásticas dentre outras formulas mágicas.. Pra mim, esses 18% é um residuo de "humanismo" do mercado mesmo (mão boba)..Os humanos são muito safadinhos...
sei lá.. sei lá... sei lá...


Abraço boizão... Gostei do seu comentário..

Bela disse...

masss... tudo vai depender do desvio padrão dessa média de 18%... Pq se ele for alto, significa q tem uma galera que ganhou muuuito (por competencia - de acordo com sua lógica -) e aí teve grana pra fazer as plasticas e os outros procedimentos estéticos $$$... Aí sua logica vale.. Porém a gente tem q aceitar a hipótese de que as pessoas que ganham mais automaticamente fazem plasticas.... Acho mais plausivel a hipótese da mão boba do mercado... sei lá sei lá...

Abraço boizão

Dentão disse...

Acho que a questão nem é tanto "ter mais dinheiro e gastar mais com aparência". Penso que o que ocorre é uma sinalização, uma pessoa de boa aparência passa mais credibilidade, uma imagem de pessoa mais organizada.

Além do mais, uma pessoa que sabe a importância de sua aparência e cuida da mesma, na maioria das vezes tem maior capacidade de observação e por isso conhece melhor do ambiente em que está inserido. Neste caso sinaliza que possui características cognitivas que podem ser importantes no dia-a-dia do trabalho.

Assim, as promoções e maiores remunerações seriam resultado de um produtividade maior. Mas acho que existem várias provas da presença da "mão boba do mercado", apenas não sei se é via de regra, ou se está bem detectado nessa pesquisa.

Bela disse...

Boa Dentão, a parada de sinalização faz todo sentido..nem tinha me atenado pra isso (Bem lembrado!).. Tá vendo como vc também pode fazer melhor?.. A questão é saber o que eles chamam de pessoas mais bonitas na pesquisa: 1)se são pessoas asseadas, barbeadas, bom odor, sem piolho, com gel no cabelo, ou se são 2)pessoas que seguem o padrão de beleza imposto pela sociedade que são: traços finos, altura acima de x, peso abaixo de y, bla bla bla...

Se for estritamente (2) aí fica meio dificil de acreditar que esses tipos de pessoas tem em seus genes a sementinha de máxima produtividade ou então sinalizam melhor produtividade vis-a-vis pessoas que cuidam muito BEM de sua aparencia mas não foram presenteadas por Deus... Ou seja, aí o mercado teria uma maozinha boba ...


Abraço..

Modes disse...

parágrafos 1 e 2 do dentão, assino embaixo! só não sei se a seleção em função da sinalização é puramente racional e premeditada pelo empregador ou se tem um quê instintivo.

boi, nao seria essa causalidade uma via de mão dupla como Myrdal aponta?

e no final de contas se o mercado tem libido, que ele passe a mão na minha bunda! rs